quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Amostra



Tenho meus choros, meu medos, meus pesadelos, minhas marcas, minhas cicatrizes muito bem amostra pra quem se aproximar saiba o que já passei e ainda passo.

Quando me aproximo de alguém faço questão de mostras o que já foi remendado no meu corpo, o que já faz parte de mim de outra forma, o que me dói e arranca pedaços de vez enquando, tudo isso pra que ninguém venha me largar nos dias seguintes me jogando na cara que não sabia disso tudo.

Pra que venham dizer depois que não sabia que eu chorava tanto quando minha cabeça começa a latejar, que eu reclamo de dor no meu joelho remendando quando a chuva vem, que minha barriga tem uma cicatriz que quase me tirou a vida. E que choro sem vergonha nenhuma dos defeitos que tenho.

E quando as pessoas falam de sonhos eu não sei até que ponto eu abriria mão das coisas para consegui -los, mas de uma coisa eu tenho certeza, que sem você do meu lado eles eles seriam só sonhos que um dia eu tive, e tenho que concordar com Raul quando ele diz que: Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade!


Naiana Cescon Lemes

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Nailon, feliz um aninho.


Lembro como se fosse hoje, você parado na frente de uma vitrine qualquer, que eu nunca havia reparado, com cara de perdido sem dono, quase implorando pra que alguém com coração bom fosse até lá e te levasse pra casa.


Não tenho muito o que fazer por ti e você faz tanto por mim, tenho tua atenção a hora que eu quiser, na chuva ou sol, de noite ou de dia, você esta sempre ali abanando o rabo como se fosse braços querendo me apertar com um abraço infinito.


Não sei de onde você vem, alguns tem palpites, outros julgam. Também não me interesse tua origem e sim tua existência perto de mim. Lembro que era desconfiado, pançudo e faminto. Levou um tempo até que começasse a "sorrir" e se sentir a vontade. Mas tenho certeza que não foi difícil, te dei toda a atenção que tenho, e dou até hoje todo carinho que produzo.


Naiana Cescon Lemes.


domingo, 25 de setembro de 2011

Muito bem acompanha!

Um aninho hoje, já escrevi tanta coisa pra ti nesse tempo, que hoje eu deixo aqui o meu simples Eu Te Amo.




 Do nosso amor a gente é quem sabe!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ah vida real, como é que eu troco de canal?



Esperando as coisas acontecerem, é isso que estou fazendo. Sinto isso tudo como se fossem areias escorrendo pelos dedos, não consigo nem escolher uma música pra ouvir sem pensar duas vezes. 

Já tive tantas fases, deveria ter aprendido como lidar com situações como essa onde não se sabe mais o que fazer pra que a vida continue, siga seu caminho, tome seu rumo de uma vez por todas. Acho que hoje estou naqueles dias que o corpo faz um baita esforço pra levantar da cama pra depois de meia hora perceber: não devia nem ter acordado!

Hoje não ganhei um eu te amo pela manhã, como de costume. Acordei desorientada, sem vontade nem de dar uma passo a frente. Já ontem terminei minha esperança, e agora estou me perguntando pra quê tipo de santo eu vou ter que apelar, pra que tipo de praga eu tenho que carregar nas minhas costas largas, que tipo de pão que o diabo amassou ainda vou ter que comer.

Não sei se estou no direito de reclamar, pois já tive dias bem piores do que esse nesse ano. Mas nem por isso vou deixar de lembrar a vida que ela poderia ser um pouco mais justa, um pouco mais leve, um pouco mais minha.

Naiana Cescon Lemes