sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

controlo minha respiração, gritando silenciosamente.



Já passei por tanta coisa, eu sei, todo mundo passa, todo mundo chora, sofre, se sente inseguro. Mas eu não quero que as coisas que eu vivi em outro tempo afete nosso jeito de ser, muito menos que segure o meu sorriso ou o teu.

Sempre achei que nunca dependeria de outra pessoa para estar bem, isso porque eu nunca me importei muito com ninguém. Só que agora eu não consigo me ver bem se tu não estiver sorrindo do meu lado.

E eu quero mais é que essa tua insegurança exploda num tempo que não exista mais pra nós. Que eu consiga te sentir leve do meu lado novamente e conseguir te abraçar com força de quem sabe o que quer. Controlo minha respiração, gritando silenciosamente pra que tudo volta ao nosso normal, ao teu toque, ao teu abraço, ao teu riso.

Naiana Cescon Lemes.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

felicidade é alívio.



Passei noites sozinhas, dormindo sem teu cheirinho de bom moço com desejo que tu esconde atrás da orelha. Abraçava os lados vazios que me acompanhavam até o meio dia e então, tu chegar com minha água gelada e aquele sorriso no rosto pra tudo começar a brilhar um pouco, ter as nossas cores que pintamos todos os dias no coração de cada um.

E eu senti tanta falta de casa e tanto falta tua e do mimi deitando do meu lado enquanto assisto tv, do Nailon latindo lá fora exigindo carinho infantil de cachorro mimado. E então quando eu volto só lágrimas me correm, porque a dor de tudo vem na hora que a gente se libera e vê o quanto não valorizamos algumas coisas, tão simples pra nós.

E eu não canso de dizer a mim mesma, que felicidade é alívio.

Que culpa tenho eu se meu riso só pede pelo teu rosto e se eu só me acalmo quando te sinto perto de mim, ou pelo menos te sinto, meu amor.


Agora que me afasto de ti, por algumas horas, um pouco mais do que o necessário, por atitudes de outros querendo interferir ou então por ter que ser assim mesmo, a única coisa que me segura de pé é que tu vai chegar no fim da tarde, com esses cachinhos recem nascidos e tudo vai ficar bem outra vez.

Naiana Cescon Lemes.
(depois de dias no hospital, finalmente voltei pra casa)